Hoje irei esclarecer uma dúvida muito comum entre os estudantes de inglês: como usar o ED no final de um verbo, no passado

O ED é usado em uma estrutura de Simple Past e nós utilizamos essa forma quando estamos nos referindo a uma ação que já foi finalizada, tanto há muito tempo quanto há pouco tempo atrás. Para que possamos usar o ED da maneira certa é necessário que nos atentemos a alguns detalhes. 

Em inglês nós temos os verbos regulares e irregulares; o ED só será utilizado em verbos regulares (verbos que têm uma forma fixa ao ser flexionado). Os verbos irregulares possuem uma forma própria, como, por exemplo o verbo to drive. O seu passado simples seria drove

A formação básica do simple past é realizada pela adição de ED, D ou IED ao final dos verbos regulares. 

Nos verbos regulares terminados em E, nós acrescentamos apenas o D no final. Por exemplo:

To like (gostar) = liked

 

To love (amar) = loved

 

Já nos verbos regulares terminados em consoante, vogal, consoante, duplicamos a última consoante e acrescentamos o ED. Observe:

To plan (planejar) = planned

 

To stop (parar) = stopped

 

Nos verbos terminados em Y precedidos de consoante, retiramos a última letra e acrescentamos o IED:

To cry (chorar) = cried

 

To study (estudar) = studied

 

Nos demais verbos regulares, adicione apenas o ED no final. 

 

1. SIMPLE PAST EM FRASES AFIRMATIVAS

Na forma afirmativa você utilizará a seguinte estrutura:

Sujeito + verbo + complemento 

Por exemplo:

I loved that song.
Eu amei aquela música.

 

I talked to him yesterday.
Eu falei com ele ontem.

 

I’ve walked away.
Eu me afastei.

 

I wanted that toy.
Eu queria aquele brinquedo.

 

2. SIMPLE PAST EM FRASES NEGATIVAS

Em frases negativas, nós usamos o did – o passado do verbo irregular do –  que serve como auxiliar da frase e para deixar a sentença na estrutura correta, que seria:

Sujeito + did + not + verbo principal + complemento. 

Did not também pode ser usado em sua forma contraída: didn’t.

Vamos ver alguns exemplos:

She did not do her homework.
Ela não fez a lição de casa dela.

 

I didn’t like the way you looked at me.
Eu não gostei da maneira que você olhou pra mim.

 

He did not know any of these songs.
Ele não conhece nenhuma dessas músicas. 

 

Sorry! I didn’t see you here.
Desculpe! Eu não tinha visto você.

 

Perceba que o verbo principal não recebe o ED pois o did já está conjugado. 

 

3. SIMPLE PAST EM FRASES INTERROGATIVAS

Aqui nós também utilizamos o did como verbo auxiliar, mas ele deverá ser o primeiro elemento na frase, seguindo essa estrutura:

Did + sujeito + verbo principal + complemento

Did you do your homework?
Você fez sua lição de casa?

 

Did you like her?
Você gosta dela?

 

Did they buy us a ticket?
Eles compraram ingresso para nós?

 

Tanto na negativa quanto na interrogativa você não irá adicionar o ED no verbo principal, esse sufixo é usado somente em frases afirmativas. 

 

4. OUTRA FORMA DE USAR O ED

O sufixo ED ainda pode ser utilizado para formar adjetivos. Observe:

Talent (talento) = talented (talentoso)

 

Henry is very talented.
O Henry é muito talentoso.

 

Blue eyes (olhos azuis) = blue-eyed (que tem olhos azuis)

 

The blue-eyed man was there.
O homem de olhos azuis estava lá.

 

Shock (chocar) = shocked (chocado)

 

Everyone was shocked because of the accident.
Todos estavam chocados por causa do acidente.

 

Espero que vocês tenham conseguido compreender como usar o ED em inglês!

Stay Strong.

 


Cadastre-se abaixo e faça parte da lista VIP. Você receberá gratuitamente conteúdos exclusivos, seleções VIP de dicas de inglês, convites para aulas ao vivo e muito mais. \o/

Nunca lhe enviaremos SPAM. Powered by ConvertKit

Como você avalia esse conteúdo?

Muito obrigada!

aproveite e siga-nos nas redes sociais e tenha acesso a muito mais conteúdo!

Nós sentimos muito por este artigo não ter sido tão útil pra você!

Deixe-nos melhorar esse artigo!

Conte-nos como poderíamos melhorar esse artigo:

English Teacher, Coach, a True Believer. Acredita que todos podem aprender inglês mais rápido e com mais propósito com a ajuda do coaching. Logo, acredita que o inglês é a melhor, mais básica e mais rápida de todas as ferramentas disponíveis para que alguém mude sua vida para melhor. O inglês é a chave que abre portas, é a janela pro mundo, é a linha base que conecta ideias e pessoas dos quatro cantos do planeta.